Sindicato reúne entidades de SC em defesa da CASSI

Na tarde de quinta-feira passada (14), os dirigentes do SEEB, funcionários do BB, estiveram reunidos com representantes locais da FETEC SC, ANABB, AFABB, AAFBB e Conselho de Usuários de SC para debater a situação da CASSI e a proposta apresentada pelo BB relativa ao déficit apresentado pela Caixa de Assistência.

Apesar da concordância em relação ao grave momento vivido pela CASSI e a urgência em encontramos soluções que resolvam o desequilíbrio financeiro da entidade, todos foram unânimes ao afirmar que a proposta apresentada pelo banco traz sérios riscos aos associados, funcionários aposentados e da ativa.

Em primeiro lugar, porque transfere aos associados o custo pelo equacionamento do desequilíbrio entre receitas e despesas, quando a responsabilidade maior cabe ao patrocinador, que indica a Presidência e as diretorias de administração e de finanças da CASSI, a quem cabe gerir os recursos da entidade.

Ao propor o aumento das mensalidades, da coparticipação e instituir a contribuição sobre os dependentes, o BB sobrecarrega sobremaneira os associados, gerando inclusive a impossibilidade de permanência no plano de saúde. Vale lembrar que a redução da folha de pagamento imposta pelo BB através da redução de quadros, baixos reajustes e o atual Plano de Funções e os reflexos na arrecadação para a CASSI são frutos da irresponsabilidade das seguidas administrações do BB, cuja prioridade tem sido produzir lucros aos acionistas

Além disto, o BB propõe o fim da solidariedade nas contribuições, fator fundamental para a longevidade do plano, já que a arrecadação acompanha a evolução da carreira do funcionalismo. Com a quebra da solidariedade entre os participantes e a cobrança por dependentes o banco pretende transformar a CASSI num plano de saúde como qualquer outro de mercado.

Outra proposta que foi rejeitada de forma unânime entre os participantes da reunião é a que traz alterações na governança da CASSI, criando diretorias “técnicas”, as quais seriam ocupadas por “profissionais do mercado”, e o voto de Minerva no Conselho Deliberativo. Estas medidas, se aprovadas, irão reduzir a participação dos funcionários na gestão e aumentar as despesas administrativas, onerando ainda mais os cofres da entidade. A falácia do profissionalismo técnico como solução para o desequilíbrio financeiro é evidenciada pelas constantes intervenções pela ANS e o encerramento de planos de saúde privados de mercado.

Nada justifica o empenho da alta administração do BB em impor a sua proposta ao funcionalismo, utilizando para isso, inclusive, da pressão junto aos gestores e colegas das Ecoas.

As ameaças relativas a uma possível intervenção da ANS, ao contrário de demonstrar uma real preocupação com a saúde e a perenidade da CASSI, desnudam o caráter autoritário da direção do BB, e devem receber uma oposição firme e decidida dos funcionários.

Sem a disposição para abertura de negociação imediata com os representantes do funcionalismo e dos aposentados, o BB somente irá retardar a busca de soluções efetivas, cuja participação dos associados é fundamental.

Encaminhamentos

Da reunião ficou encaminhado a elaboração de documento de orientação aos funcionários aposentados e da ativa com a posição das entidades e início de campanha de divulgação junto aos associados sobre os riscos das propostas que a Direção do BB apresentou. O representante da FETEC SC repassará as orientações aos demais sindicatos filiados do interior.

Outrossim, os representantes dos aposentados e funcionários da ativa esperam que a Direção do BB reabra a mesa de negociações para que se encontre soluções para a sustentabilidade da Cassi. Se é preciso arrecadar mais, precisamos de um modelo de rateio que permita a todos terem capacidade de pagamento e que o Banco assuma sua parcela nesta arrecadação. Além da questão financeira, é preciso investir numa gestão que priorize a atenção integral à saúde e ampliação da estratégia de saúde da família. Uma gestão de saúde com foco na prevenção do adoecimento ao invés do  tratamento, cuja eficácia está devidamente comprovada, requer investimentos de responsabilidade  do patrocinador.

Finalmente, os participantes destacaram a esperança de que os representantes eleitos pelos associados na Direção da Cassi defendam os interesses dos funcionários aposentados e da ativa, sem se deixarem levar pelo discurso e propostas do BB, que prejudicam e retiram direitos há anos consolidados. Bem como, que os interesses coletivos sejam preservados acima de qualquer interesse pessoal e/ou profissional de qualquer um dos membros eleitos.

SEEB Floripa

 

 

COMENTÁRIOS

Enviar

ENVIAR COMENTÁRIO

Para enviar um comentário você deve se registrar. Para isso use sua conta do Facebook.

ENTRAR COM FACEBOOK

ou se preferir use seu email pessoal

Esqueceu sua senha?

Enviar