33º Conecef aprova reivindicações específicas e apoio à campanha da Fenae “Contencioso: essa dívida é da Caixa”

Delegados e delegadas defendem, em documento, Caixa 100% pública, Fora Temer e Diretas Já

Após dois dias de intensos debates, o 33º Congresso Nacional dos Empregados da Caixa Econômica Federal (Conecef) foi encerrado neste domingo (2), em São Paulo. Dentre as resoluções aprovadas estão o apoio à campanha da Fenae “Contencioso: essa dívida é da Caixa”; e outros eixos como a realização de campanha nacional em defesa da Caixa 100% pública; não às reformas trabalhista e da Previdência, Fora Temer e Diretas Já.

O Congresso contou om a participação de 316 delegados, dos quais 165 homens (52%) e 151 mulheres (48%). “Este Conecef aconteceu em um momento difícil, de retirada dos direitos dos trabalhadores e de ataques às empresas públicas e à Caixa. Os empregados precisam estar atentos e fazer a resistência em defesa do banco. Queremos uma empresa sólida e que respeite os direitos dos seus trabalhadores”, destacou o presidente da Fenae, Jair Pedro Ferreira.

Para o coordenador da Comissão Executiva de Empregados (CEE/Caixa), Dionísio Reis, o Congresso foi marcado mais uma vez por um amplo processo de discussão e unidade. “Tivemos a participação de mais de 600 trabalhadores, se considerarmos as assembleias, encontros estaduais e o próprio Congresso. Os trabalhadores saem fortalecidos para luta pelos seus direitos”, ressaltou.

A defesa da Caixa 100% pública e o fortalecimento do papel social do banco marcaram as discussões do Conecef deste ano, que teve como lema “Resistência e Luta! Em defesa da Caixa e por Nenhum Direito a Menos!”.  A mobilização é para que a Caixa permaneça 100% pública e que se mantenha e se fortaleça como banco social, continuando a atuar como grande responsável por políticas públicas de transferência de renda e de habitação e moradia.

Para Zuleida Martins Rosa, diretora do SEEB Florianópolis, os bancos públicos significam a realização dos projetos sociais, que englobam a parte mais sofrida da sociedade, as pessoas de menor poder aquisitivo e, por isto, esta luta deve ser de toda a sociedade.”Nós, empregados da Caixa e demais bancos públicos sabemos da importância do nosso trabalho para que a população carente seja atendida nas suas necessidades básicas. Temos que levar a sociedade à reflexão para que participe desta luta,  antes que mais estas fatias de propriedade do povo, sejam “doadas” ao capital, a exemplo de outras estatais – Vale, Petrobrás, etc.”

Funcef

No documento aprovado durante o Conecef, os delegados e as delegadas deliberaram pela aprovação da campanha da Fenae “Contencioso: essa dívida é da Caixa”, lançada no dia 7 de junho deste ano, que tem como primeiro objetivo chamar a atenção do empregado sobre os riscos que corre a Funcef, caso a Caixa não salde essa dívida.

“Vamos implementar a campanha em todas as nossas bases, levando aos empregados da Caixa a mensagem e conclamando todos a se juntarem nessa luta”, destacam os delegados e as delegadas do 33º Conecef.  No documento, constam ainda outros encaminhamentos relacionados à gestão da Funcef, com garantia de eleições diretas com regras democráticas e democratização da gestão.

Ressaltam ainda que a situação da Fundação é cada vez mais grave: “Contencioso, déficit, equacionamento, falta de transparência e de democracia ameaçam a sustentabilidade da Fundação”.

Resoluções

Outros pontos apontados durante o Conecef estão condições dignas de trabalho e retomada das contratações, intensificar a mobilização contra o processo de reestruturação, o assédio moral e sexual, e Não a Verticalização. Os delegados também deliberaram, por unanimidade, Não ao trabalho aos sábados e posição contrária ao Projeto de Lei do Senado (PLS) 203/2017,  do senador Roberto Muniz (PP/BA), que revoga a Lei, 41788/62 que proíbe a abertura de bancos aos sábados.

Também defenderam a implantação de programas de prevenção de doenças do trabalho e definição de políticas de saúde mental; realização de campanha permanente pelo cumprimento da jornada de trabalho e pelo correto registro das horas trabalhadas; manutenção do modelo de custeio do Saúde Caixa (70% para Caixa e 30% para os usuários) sem a inclusão de teto de contribuição do banco; defesa da democratização da Funcef; luta pelo fim do voto de Minerva e intensificar a luta contra o PLP 268/2016, que reduz a representação dos empregados na Fundação; cobrar responsabilidade da Caixa com o contencioso judicial; não à verticalização; fim dos descomissionamentos arbitrários; luta pelo não fatiamento da Caixa e pela manutenção da gestão pública do FGTS no banco.

Moção

As correntes políticas presentes ao Congresso Nacional assinaram moção em defesa dos bancos públicos e do Estado Brasileiro: “Os delegados e as delegadas defendem o fortalecimento da Caixa pública para a retomada do crescimento do país, a geração de emprego e da renda”. O documento também cita a retomada do papel do banco de financiador das políticas públicas de Estado. Repudia o desmonte do estado e dos bancos públicos e as propostas de contra-reformas do governo Temer.

Homenagem

O 33º Conecef homenageou Rebecca Costa Serravalle. Empregada da Caixa e advogada, Rebecca foi a primeira diretora do Departamento da Mulher do Sindicato dos Bancários da Bahia, onde deixou um legado de luta e atuação, tornando a questão de gênero forte entre as bancárias Na Apcef/BA, foi diretora Administrativa e Jurídica e membro da Executiva dos Empregados da Caixa onde sempre foi destaque na luta.

Fonte: Fenae com informações do SEEB Floripa

COMENTÁRIOS

Enviar

ENVIAR COMENTÁRIO

Para enviar um comentário você deve se registrar. Para isso use sua conta do Facebook.

ENTRAR COM FACEBOOK

ou se preferir use seu email pessoal

Esqueceu sua senha?

Enviar