Caixa Econômica Federal

Dia 11 é dia de luta pela isonomia PDF Imprimir E-mail

 
10.09.14 - Nesta quinta dia 11, os colegas da Caixa vão vestir preto em seus locais de trabalho no Dia Nacional de Luta pela Isonomia na Caixa. Tire fotos de seus locais de trabalho e enviem para o Sindicato para publicação no facebook
 
Contraf divulga manifesto em defesa da isonomia dos empregados da Caixa   
 
Igualdade de direitos representa a reparação de uma injustiça histórica 

A Contraf-CUT, assessorada pela Comissão Executiva dos Empregados da Caixa (CEE/Caixa), divulgou nesta terça-feira (9) manifesto no qual defende a isonomia entre todos os empregados do banco. O texto rechaça o fato de que, atualmente, há na empresa trabalhadores de duas classes desempenhando os mesmos papéis. "Mais do que inaceitável em um banco essencial para o país, parceiro estratégico na execução de políticas públicas, a prática fere o artigo 5º da Constituição Federal", destaca.

No manifesto, a Contraf/CUT explica que a distinção entre empregados foi introduzida na época em que o governo de Fernando Henrique Cardoso privatizou empresas públicas. "A Caixa, por exemplo, passou por um processo acelerado de desmonte. O modelo de gestão na empresa foi ditado por medidas como demissão de empregados pela RH 008, implantação de três PADVs, flexibilização da jornada, reajuste zero, discriminação aos aposentados e ataque às entidades de representação dos bancários".

O documento lembra que a partir de 2003, muitos direitos foram reconquistados, e que o foco agora é lutar pela licença-prêmio de 18 dias por ano e pelo Adicional por Tempo de Serviço (ATS). Também consta do texto algumas das deliberações do III Encontro Nacional de Isonomia, ocorrido em Brasília (DF) no dia 30 de agosto, como a realização nesta quinta-feira, 11 de setembro, do Dia Nacional de Luta por Isonomia.

"É hora de intensificar mobilização! O aviltamento dos direitos dos empregados é um ataque a toda a categoria. A luta é de todos! A precarização de condições para os novos ingressantes representa a deterioração das relações de trabalho e pode indicar o caminho para perdas futuras entre bancários de instituições públicas. É urgente acabar com esse resquício neoliberal, fruto do ataque de um projeto de governo que quase acabou com a Caixa Econômica Federal", conclama o manifesto.

Dia Nacional de Luta por Isonomia

A Contraf/CUT e a CEE/Caixa divulgaram nesta segunda-feira (8) as orientações gerais para o Dia Nacional de Luta por Isonomia. "O objetivo da data é reforçar a mobilização da categoria em busca da igualdade de direitos. É fundamental que as entidades do movimento organizado pautem atividades no dia 11", afirma a coordenadora Fabiana Matheus.

Cartilha

Foi definido, também no III Encontro Nacional de Isonomia, que uma cartilha sobre o tema será publicada e enviada pela Fenae para entidades sindicais e do movimento associativo. "O material, que já está sendo distribuído, traz um histórico sobre as perdas de direitos e destaca a importância do Projeto de Lei nº 6259/2005. Temos que pressionar o Congresso Nacional pelo fim desses resquícios do governo de FHC", diz Jair Pedro Ferreira, presidente da Fenae.


Fonte: Fenae, com Contraf-CUT
  Section:  Notícias - File Under:  Caixa Econômica Federal  |  
 
Terceira rodada de negociação específica com a Caixa ocorre nesta segunda, dia 8 PDF Imprimir E-mail

08.09.14 - Terceira rodada de negociação específica com a Caixa ocorre nesta segunda, dia 8Acontece nesta segunda-feira, dia 8, às 14h, em Brasília, a terceira rodada de negociações específicas da Campanha Nacional 2014, entre o Comando Nacional dos Bancários, coordenado pela Contraf-CUT, e a Caixa Econômica Federal. Na pauta estarão os temas condições de trabalho, contratação, segurança bancária e terceirização.

Serão negociados itens como contratação de novos empregados para suprir as necessidades reais de funcionamento das unidades, chegando ao quantitativo mínimo de 130 mil empregados até o fim de 2014. Também será exigida da Caixa a apresentação da metodologia utilizada para definição de número para a contratação de empregados, além de mais empregados por setor.

Outras reivindicações são a abertura de novas unidades apenas com estrutura física de segurança e ergonomia necessárias para o atendimento adequado da população, a elevação do valor da indenização por assalto/sequestro para o equivalente a 100 salários mínimos calculados pelo Dieese, a universalização dos serviços bancários, com abertura de novas agências e contratação de pessoal, e o fim da parceria da Caixa com os correspondentes bancários e habitacionais, entre outras questões.

Avaliação

Até agora, no entanto, ocorreram duas rodadas de negociações específicas da Campanha 2014, mas a Caixa sequer apresentou uma proposta global para as reivindicações de seus trabalhadores.

Na rodada do último dia 29 de agosto, por exemplo, foram negados itens sobre Funcef, aposentados e isonomia. Houve ainda a recusa para a maioria das demandas de saúde do trabalhador e Saúde Caixa, durante debate ocorrido na primeira reunião, no dia 21 de agosto.

A hora, portanto, é de ampliar a mobilização. Para Fabiana Matheus, coordenadora da Comissão de Organização dos Empregados (CEE/Caixa), que assessora a Comando nas negociações com o banco, a mobilização é o caminho mais adequado para forçar a direção da empresa a avançar nas negociações específicas. 

Ela, que é também diretora da Fenae, convoca todos os trabalhadores da Caixa a participarem das atividades da Campanha 2014. Queremos mais!


Fonte: Contraf-CUT com Fenae
 
  Section:  Notícias - File Under:  Caixa Econômica Federal  |  
 
Ofício entregue ao ministro Gilberto Carvalho reforça defesa pela isonomia PDF Imprimir E-mail

29.08.14 - A Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf/CUT), a Comissão Executiva dos Empregados da Caixa (CEE/Caixa) e a Fenae entregaram nesta quinta-feira (28) ao ministro Gilberto Carvalho, da Secretaria Geral da Presidência da República, ofício no qual reforçam a defesa pela isonomia entre empregados dos bancos e de outras empresas públicas federais e solicitam ações para que as diversas esferas do governo federal revejam posição sobre o tema.

Documento faz breve histórico da distinção entre empregados da Caixa e solicita que esferas do governo federal revejam posição sobre o assunto
 
A Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf/CUT), a Comissão Executiva dos Empregados da Caixa (CEE/Caixa) e a Fenae entregaram nesta quinta-feira (28) ao ministro Gilberto Carvalho, da Secretaria Geral da Presidência da República, ofício no qual reforçam a defesa pela isonomia entre empregados dos bancos e de outras empresas públicas federais e solicitam ações para que as diversas esferas do governo federal revejam posição sobre o tema.

O documento relata que a distinção entre empregados foi introduzida por resoluções publicadas em 1995 e 1996 pelo Departamento de Coordenação e Governança das Empresas Estatais, então denominada Coordenação das Empresas Estatais. “Desde então, como parte dos chamados entulhos autoritários do governo Fernando Henrique Cardoso, administradores de empresas públicas federais foram orientados a limitar os gastos com custeio de pessoal. Foi com base nessa recomendação que, a partir dos novos concursos públicos, diversos direitos dos trabalhadores foram suprimidos”, diz o texto.

Ao ministro Gilberto Carvalho, Fabiana Matheus, coordenadora da CEE/Caixa, explicou que os admitidos após 1998 foram uns dos mais prejudicados. “Eles ingressaram como técnicos bancários, em condições desfavoráveis, com tabelas salariais defasadas e perda de direitos. De 2003 para cá, avançamos nas negociações e reconquistamos alguns benefícios. No entanto, travamos no Adicional por Tempo de Serviço (ATS) e na licença-prêmio”, afirmou.

O presidente da Fenae, Jair Pedro Ferreira, destacou a importância do Projeto de Lei nº 6259/2005, que garante o tratamento isonômico entre todos os empregados das instituições financeiras públicas federais. “O PL já passou por algumas comissões da Câmara dos Deputados, mas encontra-se parado na de Finanças e Tributação. É preciso abrir esse processo de negociação. Hoje, na Caixa, temos empregados de duas classes, o que gera um ressentimento na categoria. Não podemos aceitar essa distinção”, destacou.

O ministro Gilberto Carvalho prometeu conversar sobre o assunto com a ministra do Planejamento, Miriam Belchior, e com a presidenta Dilma Rousseff.

Participaram da audiência com o ministro-chefe da Secretaria Geral da Presidência da República, além de Jair Pedro Ferreira e Fabiana Matheus, Genésio Cardoso (Fetec-CUT/PR), Adhemar Rovaris (Fetec-CUT/SC, SEEB Florianópolis), Eduardo Araújo de Souza (presidente do Sindicato dos Bancários de Brasília) e Vanessa Sobreira Pereira (SEEB Brasília).
 
Fonte: Fenae.net
 
 
  Section:  Notícias - File Under:  Caixa Econômica Federal  |  
 
CAIXA: Encontro em Florianópolis sobre isonomia elege representantes para o Nacional PDF Imprimir E-mail

22.08.14 - Nesta última quinta-feira, dia 21, empregados da Caixa Econômica Federal da base de Florianópolis e Região elegeram seus representantes para o Encontro Nacional de Isonomia, no dia 30 de agosto. Santa Catarina contará com 6 representantes no Encontro, sendo 3 da Fetec, 1 do SEEB Criciúma e 2 do SEEB Florianópolis.

  Dois pontos de pauta foram centrais no Encontro no SEEB Florianópolis: A luta pela concessão de Adicional por Tempo de Serviço (ATS) aos bancários que ingressaram na Caixa Econômica Federal após 1997. O benefício corresponde a 1% do salário-padrão a cada ano trabalhado, até 30% do salário. E a Licença Prêmio.

  A importância do debate na busca por avanços na luta por isonomia na Caixa é fundamental para a organização dos trabalhadores do banco, e para a militância bancária. Esse é um ponto que já se torna histórico na batalha pela garantia de direitos do maior banco público do país.  Entendemos que para avançar na isonomia precisamos compreender que só reformando as ações conjuntas, principalmente a luta na Campanha Nacional dos Bancários, será possível tal conquista.  A participação dos bancários na campanha é o que torna o debate da isonomia vivo o suficiente para fazer alguma pressão no banco. Se engaje na Campanha Nacional e reforce a luta dos bancários, é o único caminho para conseguirmos a isonomia.   

Fonte: SEEB Floripa

 

 

  Section:  Notícias - File Under:  Caixa Econômica Federal  |  
 
«InícioAnterior12345678910PróximoFim»

Página 1 de 55
Assembleia geral dia 25. Comando aponta greve para dia 30

 

19.09.14 - A exemplo das propostas de caráter social apresentadas na quarta-feira 27, o Comando Nacional dos Bancários tamb...

Bancários de Floripa unidos e prontos para luta

 

17.09.14 - Na ultima terça-feira, dia 16, os bancários da base de Florianópolis e Região se fizeram presentes em Plenária para debater o andamento das negociações co...

Morre Dirceu Travesso, um dos fundadores do PSTU

 

16.09.14 - Didi, como era conhecido, também era membro da Secretaria Executiva Nacional da CSP-Conlutas; em nota, PSTU lamentou o falecime...

SEEB - Sindicato dos Bancários de Florianópolis e Região
Rua Visconde de Ouro Preto, 308 - Florianópolis - SC
Fone (48)
3224-7113 - FAX (48) 3223-3103