Bancários de Santa Catarina na luta em defesa da Previdência Social

Tendas de coletas de assinaturas contra a PEC06/2019 estiveram nas ruas de Concórdia, Blumenau e Florianópolis durante todo dia

Nesta terça-feira, 30, bancários de diversos pontos do estado estiveram coletando assinaturas da população para barrar a Reforma da Previdência, que está tramitando no Congresso, os bancários de Santa Catarina estão realizando diversas ações pelo Estado para dialogar com os trabalhadores sobre os riscos que a aposentadoria corre. Uma das principais atividades é a coleta de assinaturas para o abaixo-assinado contra a Reforma da Previdência, que está acontecendo em todo o Brasil e será entregue na Câmara dos Deputados. Vários sindicatos e centrais sindicais estão empenhados em coletar assinaturas nos locais de trabalho e em áreas de grande circulação.

Nos próximos dias a direção do Sindicato dos Bancários de Florianópolis e Região estará percorrendo a sua base na coleta de assinaturas. Assim como os bancários diversas categorias em todo o país percorrerão suas bases para engrossar a representatividade do abaixo-assinado.
No estado a receptividade do povo nas ruas e das categorias de trabalhadores organizados está sendo maior do que a expectativa. Todos os dias milhares de assinaturas estão sendo recolhidas. Em todo o país, a estimativa é de que mais de 500 mil assinaturas tenham sido coletadas em menos de um mês de campanha.

O Secretário de Políticas Sociais e Sindicais do SEEB Floripa  Bernardino Ramos de Abreu, alerta sobre a importância da participação dos bancários, “Precisamos nos unir e participar dos debates, defender nossos direitos, pois da forma como esta proposta vem sendo construída atenderá aos interesses dos banqueiros não dos bancários! Nós estamos nas ruas debatendo com a população e coletando assinaturas contra esta reforma. Gostaria de fazer um apelo aos colegas para assinarem este documento e passarem na tenda ou na sede do Sindicato para pegarem cópias e coletarem assinaturas de parentes, amigos e colegas”.

Um detalhe que tem chamado atenção é o grande número de mulheres que têm assinado o manifesto. A reforma será prejudicial para todos os trabalhadores, mas ainda mais para as mulheres. Hoje, a idade mínima para aquelas que vivem abaixo da linha da pobreza e não conseguiram contribuir por 15 anos é de 60 anos. Vai subir para 62 anos. Além disso hoje as mulheres conseguem sua aposentaria após 30 anos de contribuição com a reforma será necessário completar 62 anos de idade para adquirir este direito e não haverá mais aposentadoria só por tempo de contribuição.

Para o Secretário de Assuntos Jurídicos do SEEB Floripa, Luiz Henrique Pinto Toniolo, a mobilização de todos é fundamental para que a classe trabalhadora e as camadas mais necessitadas da população brasileira não percam o direito de se aposentar. “É preciso cobrar um posicionamento dos deputados contra essa reforma, compartilhar informações para que todos se conscientizem dos prejuízos para a classe trabalhadora. Mobilize-se e defenda a sua aposentadoria!”, reforçou Toniolo.

 

Acesse o link abaixo e imprima o formulário para coletar assinaturas:

abaixo-assinado-centrais-sindicais-frentes Reforma Previdência

 

SEEB Floripa

COMENTÁRIOS

Enviar

ENVIAR COMENTÁRIO

Para enviar um comentário você deve se registrar. Para isso use sua conta do Facebook.

ENTRAR COM FACEBOOK

ou se preferir use seu email pessoal

Esqueceu sua senha?

Enviar