Honduras: Polícia recusa tomar partidos e faz greve

Os agentes policias não querem ser instrumentalizados e apelam à paz nas ruas.

A greve de agentes especiais da policia nacional em Tegucigalpa, nas Honduras, obrigou o governo a adiar por duas horas o recolher obrigatório, o qual foi decretado na passada sexta-feira.

A livre circulação em todo território nacional é proibida das 18h às 6h, em detrimento do estado de emergência em que o país se encontra.

A medida foi tomada para que a violência diminua, já que a contagem dos votos das eleições presidenciais tem levado simpatizantes do partido da oposição às ruas, partido liderado por Salvador Nasralla, o qual acredita ter sido alvo de fraude na contagem dos votos. Salavdor Nasralla ficou a 0,4% do adversário e atual chefe de estado, Juan Orlando Hernández.

Os votos ainda não foram recontados e o povo continua impaciente. Marisa Matias, eurodeputada responsável pela missão dos observadores da União Europeia, apelou à calma, já que o processo de contagem dos votos ainda não está terminado.

“Não ficará nada por dizer. Estou aqui, diante de vocês, a dizer, por favor, ainda não há vencedores e o processo ainda não está terminado. Como é que querem que eu me contradiga e que encerre o processo agora? Não é possivel. “, disse Marisa Matias.

Desde 26 de Novembro que as Honduras aguardam o novo presidente. Os resultados oficiais só serão conhecidos quando os votos forem todos recontados pelo Supremo Tribunal Eleitoral.

Fonte: euronews.

 

COMENTÁRIOS

Enviar

ENVIAR COMENTÁRIO

Para enviar um comentário você deve se registrar. Para isso use sua conta do Facebook.

ENTRAR COM FACEBOOK

ou se preferir use seu email pessoal

Esqueceu sua senha?

Enviar