Trabalhadores do macrossetor de serviços vão às ruas contra a reforma da Previdência

Trabalhadores dos setores financeiro, de comunicação, do comércio, processamento de dados e vigilantes, que compõem o macrossetor de serviços da Central Única dos Trabalhadores (CUT) farão atividades em todo o país nesta quarta-feira (22) em protesto contra a reforma da Previdência proposta pelo governo de Jair Bolsonaro. Os segmentos de serviços contemplam mais de 67% dos 90 milhões de trabalhadores brasileiros empregados e são responsáveis por 73% do Produto Interno Bruto (PIB).

“A proposta de reforma da Previdência do governo Bolsonaro representa um dos maiores e mais graves ataques aos direitos do povo mais pobre, das mulheres, dos idosos e das gerações futuras. Se aprovada, todo o sistema de seguridade social será desmontado, em prejuízo de toda a classe trabalhadora. É essa a verdade que temos que mostrar para a sociedade”, disse a presidenta da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), Juvandia Moreira.

As entidades cutistas do macrossetor de serviços distribuirão materiais que mostram os prejuízos que a reforma, se aprovada, causará à classe trabalhadora. Também serão coletadas assinaturas no abaixo-assinado unificado das centrais sindicais contra a reforma e a população poderá calcular o tempo necessário para se aposentar pelo atual sistema e pela proposta do governo. A ferramenta de cálculo foi desenvolvida pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).

Fonte: Contraf-CUT

COMENTÁRIOS

Enviar

ENVIAR COMENTÁRIO

Para enviar um comentário você deve se registrar. Para isso use sua conta do Facebook.

ENTRAR COM FACEBOOK

ou se preferir use seu email pessoal

Esqueceu sua senha?

Enviar